IGTI Blog
Quais as principais diferenças entre um líder e um gestor?

Quais as principais diferenças entre um líder e um gestor?

Desmistificando esses importantes conceitos no contexto empresarial

Primeiramente temos que ter em mente que ser gestor implica em ocupar um cargo em uma organização. O trabalho gerencial é marcado pela conhecida pressão por resultados, metas e prazos que exigem múltiplos papéis. Esse processo envolve a capacidade de influenciar pessoas, interagir com superiores, subordinados, clientes, fornecedores, mas também com outros atores externos à organização com as instituições públicas (Governo, Agências Reguladoras, etc.) e privadas (associações e a comunidade que é indiretamente afetada pela atividade realizada pela empresa que ele gerencia). Nota-se assim que um gestor deve conseguir exercer um processo de dominação, controlando e persuadindo pessoas e recursos, ao mesmo tempo em que deve deter a capacidade de aprender e de se desenvolver continuamente.

O trabalho do gerente hoje em dia nos leva a pensar em um profissional que vivencia um processo contraditório entre o poder decorrente do cargo que ocupa e os conflitos e pressões resultantes desse poder e autoridade. Ao mesmo tempo em que o gestor tem que controlar o trabalho de outras pessoas para o alcance das metas e indicadores que lhe foram “impostas”, precisa lidar com suas emoções e sentimentos. Ser gerente definitivamente não é tarefa fácil!!!

Desde que Taylor (1970) “criou” o termo gestor, vários modelos e teorias estudam e buscam entender as variáveis que compõem o papel do gestor, muitas vezes criticado pelo uso, por vezes, inadequado da autoridade associada a função.

O cargo de gerente é legitimado pelo seu posicionamento na hierarquia das organizações, como pela sua competência técnica e profissionalização. Cabe ao gerente tomar decisões, o que requer entender a situação, analisar alternativas, avaliar, escolher a melhor opção, colocá-la em prática e controlar e avaliar seus resultados. Nesse sentido, um líder deve buscar a eficácia, conforme destacou Drucker (1967).

Porém desde que Fayol (1990) percebeu que a função gerencial era mais complexa e que o gerente deveria ter iniciativa, colaborar com seus subordinados, conciliar interesses individuais e organizacionais e estar atento a questões como: remuneração, equidade e estabilidade, gerando satisfação e o espírito de equipe, começaram a surgir os estudos sobre liderança nas organizações. Nesse sentido, Mintzberg (1986) destacou que os gestores devem exercer papéis interpessoais, informacionais e decisórios. Assim, o gestor busca por meio da cooperação dos membros atingir os objetivos organizacionais.

A intensidade das mudanças e o crescimento da incerteza dos cenários exige repensar os papéis e atribuições dos gestores e o desenvolvimento de competências essenciais, tais como as atitudinais. Nesse contexto, cresce a importância da liderança para construir as respostas mais adequadas.

Mas afinal o que é um líder?

Líderes não são super-heróis, são pessoas normais que conseguiram fazer a diferença. Assim como um gestor pode agir como um líder, líderes informais podem não ser gestores. Isso porque um líder consegue agregar valor para os membros do seu time e para a organização. A fonte de poder dos líderes advém mais dos liderados do que do cargo ou posição hierárquica.

Observamos assim que líderes bem sucedidos, conseguem manter suas equipes desafiadas, motivadas e em constante desenvolvimento. Um bom líder consegue manter a coesão do time e desenvolver a autoajuda entre membros. O resultado é a criação de um grupo de alta performance e em constante desenvolvimento.Muitos gestores apresentam dificuldades em desenvolver a capacidade de delegar e construir conexões internas e externas à organização, típicas de um líder de sucesso.

Diante disso, podemos concluir que líderes de sucesso diferenciam-se pelo seu aspecto comportamental: lidar com a diversidade e o inesperado, delegar, dar espaço e desafiar seus subordinados.

Ser um gestor líder é uma ciência e uma arte que podem ser aprendidas e desenvolvidas.

Professora autora: Tatiane Barleto